ONU diz que tráfico e consumo de cocaína ganharam destaque no Brasil

“Na América do Sul, o consumo e o tráfico de cocaína ficou mais notório, em especial no Brasil, por fatores como a localização geográfica e a numerosa população urbana”, diz o texto relatório anual do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, na sigla em inglês), divulgado nesta quinta-feira (26).

A publicação afirma que o consumo de cocaína se concentra na Europa, América e Oceania, mas “praticamente toda a produção mundial acontece em três países da América do Sul”.

O texto afirma, porém, que “tem diminuído a disponibilidade mundial desta droga”.

A publicação aponta também que o uso de drogas no mundo está estável. O número de pessoas que usaram drogas em 2012 ficou entre 162 milhões e 324 milhões, número semelhante ao do ano anterior.

O número de mortes relacionadas as drogas em 2012 ficou entre 95.500 e 225.900 pessoas, uma leve queda em relação a 2011. A principal razão da queda foi um menor número de mortes na Ásia, diz o relatório

A agência também alerta para a alta na produção de ópio no Afeganistão, que aumentou pelo terceiro ano consecutivo. Cerca de 209 mil hectares foram usados no país para a produção, mais que os 154 mil hectares usados em 2011.

MACONHA

Apesar do consumo mundial de maconha ter caído, o relatório diz que o uso da droga aumentou em diversos países, incluindo os Estados Unidos, porque as pessoas acreditam que a droga não causa mal a saúde, em uma crítica a medidas para a legalização da droga.

“Uma regulação mais permissiva da cannabis se relaciona com uma queda na percepção do risco no uso”, diz o texto. A agência afirma ainda que uma disponibilidade maior da maconha pode aumentar o consumo, principalmente entre os jovens.

O texto afirma que também que é muito cedo para avaliar as novas regras de legalização no Uruguai e nos Estados americanos de Washington e do Colorado.

Fonte.: Folha de São Paulo via Blog Uniad